Faça um e … leve dois.


(Formação de gêmeos)

 

Os tão falados gêmeos, conhecidos mundo a fora por causa de sua aparência idênticas, podem não ser tão idênticos assim. E como isso?

É simples, existem dois tipos de gêmeos, os univitelinos (ou monozigótico-idênticos) e os bivitelinos (ou dizigóticos-fraternos).

Os gêmeos univitelinos ou idênticos são seres formados a partir de uma mesma célula ovo (Zigoto). Um único espermatozoide fecunda um único ovócito formando uma célula ovo, essa célula se divide em dois, formando-se então dois seres com características genéticas idênticas.

Esses gêmeos dividem a mesma placenta, dividem o saco amniótico, possuem o mesmo fator sanguíneo, sempre possuem o mesmo sexo, enfim: têm as mesmas características.

Mas apesar de serem caracterizados como clones naturais eles não possuem a mesma impressão digital. Interessante não? Isso ocorre, pois não são somente as características genéticas que influenciam na formação do ser vivo, o ambiente também, e desde o útero se pode observar isso, pois essa diferenciação na digital se dá ao fato de que os gêmeos têm contatos com partes diferentes dentro do útero materno, diferenciando-os mesmo que só por pouco.

Já os gêmeos bivitelinos ou fraternos, são seres formados a partir de dois óvulos fecundados, nesse caso são produzidos dois ovócitos, e os dois são fecundados Por espermatozoides distintos, formando-se assim dois embriões, que são chamados de gêmeos pelo fato de serem gerados por uma mesma gravidez. Apesar de receberem essa classificação, a formação desses gêmeos no útero acontece de forma independente, cada um possui a sua placenta, seu próprio saco amniótico.

Portanto esses gêmeos podem apresentar características semelhantes ou não, podem ser de sexos diferentes, podem apresentar fator sanguíneo distinto e características diferentes.

Esses gêmeos não passam de irmãos comuns que por coincidência, foram formados a partir de uma mesma gestação.

(Carolina Maltese)- 2o ano do Ensino Médio

 

Células Tronco


As células tronco de embriões têm ainda a capacidade de se transformar em qualquer tecido do corpo humano, em um processo chamado de diferenciação celular .  Com essas características, as células tronco são muito importantes no combate as doenças e talvez a única cura para algumas como: acidentes cardiovasculares, traumas na medula espinal, distrofias musculares…

As células tronco podem ser encontradas no cordão umbilical e na medula óssea. Mas há muita coisa que precisamos pensar quando falamos de pesquisas de célula tronco. Existem muitos debates em torno do tema porque há grupos de pessoas que acham anti ético pegar células embrionárias para a pesquisa, pois para se obter essas células temos que usar o embrião todo. Mas tem um grupo de cientistas que defende a pesquisa porque seria uma caminho para a cura destas doenças. Dentro de certas regras isso poderia ser feito.

Aqui no Brasil pesquisas com a fêmea de um Lobo Guará, que foi atropelada e recebeu o tratamento com células tronco. Este foi o primeiro registro do uso de células tronco em animais selvagens. Legal, né ?

Pense nisso antes de ser contra ou a favor das pesquisas de célula tronco.

Louise – 8o ano

Organelas Celulares


Vamos falar sobre organelas celulares ? O nome parece meio estranho, mas é mais fácil que você imagina…

Para começar sabemos que todos os seres vivos são formados por células. Mas não para por ai! No interior de toda célula viva encontramos uma substância meio gelatinosa chamada de citoplasma ou citosol. E dentro , ” nadando” dentro desta substância estão bolsas, vesículas ,… enfim estruturas chamadas organelas.

Essas organelas são responsáveis por todas as funções vitais da célula e é por isso que vamos falar sobre elas.

  • Complexo de Golgi ou Golgiense => sua estrutura parece um conjunto de bolsas achatadas.

Suas funções são, principalmente, o transporte de substâncias no interior das células e o amadurecimento de  substâncias . Por exemplo: uma substância ( como uma proteína) é produzida por outra organela ( o retículo endoplasmático rugoso). Até que ela esteja pronta para ser usada, é levada para o Complexo de Golgi e ali fica até amadurecer. Depois é transportada para fora da organela e assim fica preparada para desempenhar o seu papel.

  • Lisossomos => essa organela surge do Complexo de Golgi, se desprendendo dele. A principal função é a digestão intracelular. 

Os lisossomos realizam a digestão de partículas que foram fagocitados ou pinocitados. A fagocitose é a ingestão de partículas grandes e sólidas feita pelas célula e a pinocitose é a ingestão de partículas bem pequenas.

Depois que a partícula entra na célula os lisossomos agem e acontece a digestão dentro de um vacúolo digestivo.

Outro processo feito pelos lissosomos é a autofagia que é quando a célula digere parte dela própria ou para repor a energia, ou para renovar organelas novas.

Essas são algumas organelas que desempenha funções importantes na célula. Apesar dos nomes chatos, de vários processos e processinhos, tudo isso é importante. E é só estudando que se aprende .

Espero ter ajudado.

Higuy  –  3o ano Ensino Médio

Taxonomia: A classificação dos seres vivos


  • Objetivo: Classificar diferentes grupos de acordo com o determinado critério para facilitar os estudos dos seres vivos. Para fazer isso temos que usar a filogenia que vai determinar a sequencia da origem dos organismos no planeta, seu grau de parentescos com os demais organismos.
  • Critérios de classificação: Diferenças anatômicas, fisiológicas embrionárias e entre outras. Quanto maior a semelhança maior o grau de parentesco.

  • Sequência de classificação (Estabelecida em 1735 pelo botânico Carl Van Linné (1707 – 1778) ou Lineu (em português)):

Reino

Filo

Classe

Ordem

Família

nero

Espécie

Dica: Para gravar a sequencia de classificação a palavra usada é “REFICOFAGE”

Lineu determinou que grupos que apresentassem as mesmas características seriam chamados de espécies.

  • Conceito de espécie: Conjunto de indivíduos muito semelhantes e capazes de cruzar entre si, quando descendentes férteis. Os demais grupos seriam chamados de acordo com sua semelhança

Ex. O grupo gênero reúne as espécies muito parecidas.

Família: É formado por vários grupos.

Ordem: Formado por grupos de famílias

Classes: Formado por grupos de ordens

Reino: É formado por grupos de classes

Lineu propôs também o uso de palavras latinas para denominar os organismos, assim determinando uma única linguagem cientifica, evitando confusões.

Lineu determinou também o uso da nomenclatura binominal. Veja o nome científico do Ser Humano:

Homo sapiens.  

O primeiro nome Homo se refere ao gênero e é sempre feita em letra maiúscula. E os dois nomes juntos, Homo sapiens.  ,  se refere a espécie e é minúscula e os dois nomes sempre destacados.

Thiago Alegria Rocumback

 

 

Os transgênicos


O assunto de hoje são os produtos transgênicos, conhecidos também como organismos geneticamente modificados (OGMs). Mas atenção, transgênicos e OGMs não são necessariamente a mesma coisa. Todo transgênico é um OGM, mas nem todo OGM é um transgênico. Vamos falar agora especificamente dos transgênicos.

 

  •  O que são?

São organismos que possuem material genético de outros organismos a partir de técnicas de engenharia genética. São organismos provenientes de cruzamentos que nunca aconteceriam, como por exemplo, arroz e bactéria. Esses organismos têm características novas ou melhoradas em relação ao original.

 

  •  Qual é o objetivo?

O objetivo da sua comercialização é acabar com os problemas na agricultura, criando espécies mais resistentes para não precisar do uso de agrotóxicos e aumentar a produtividade. Dessa maneira, a produção de transgênicos seria uma possível solução para a fome mundial.

 

  •  Pontos negativos

Os ambientalistas e outros cientistas defendem que essas sementes podem levar ao aumento de uso de pesticidas aplicadas e assim, as pragas que se alimentam dos transgênicos podem passar a ser resistentes a pesticidas. Para combatê-las, os plantadores teriam que utilizar cada vez maiores doses de pesticidas. A consequência é a maior poluição nos rios e nos solos.

Outro problema é que não há testes suficientes para comprovar ou não os possíveis perigos causados sob a saúde do homem. Por isso, em 2000, foi criado o Protocolo de Biossegurança exigindo dos países provas suficientes para a segurança do meio ambiente e para a saúde humana. Outra lei que existe no Brasil é que todo produto transgênico tem que ser indicado no rótulo.

12 motivos para consumir produtos orgânicos ao invés de transgênicos

  1. Proteger as futuras gerações;
  2. Prevenir a erosão do solo;
  3. Proteger a qualidade da água;
  4. Rejeitar alimentos com agrotóxicos;
  5. Melhorar a saúde dos agricultores;
  6. Aumentar a renda dos agricultores;
  7. Apoiar os pequenos agricultores;
  8. Prevenir gastos futuros;
  9. Promover a biodiversidade;
  10. Descobrir sabores naturais.
  11. Você contribuir para acabar com envenenamento por pesticidas de milhares de agricultores;
  12. Ajuda a preservar pequenas propriedades

Bruna Brilhante

A Célula


A célula é a unidade estrutural e funcional de todos os seres vivos . O que isso quer dizer ?

  • Entendemos como UNIDADE ESTRUTURAL como o que dará a forma do nosso corpo.
  • E a UNIDADE FUNCIONAL são as funções que a célula desempenha, como a digestão e a respiração.

Todos os seres vivos são formados por células, exceto o vírus que é formado por uma cápsula de proteína e o material genético dentro.

Os seres vivos podem ser classificados como:

  • Unicelulares => formados por uma única célula ( Exemplo: Bactérias)
  • Pluricelulares => formados por muitas células ( Exemplo : o Ser Humano)

Partes da Célula:

Membrana Plasmática => protege e envolve a célula, deixando algumas substâncias importantes entrarem e outras saírem.

Citoplasma => é onde encontramos várias organelas ( ou orgánulos) que desempenham muitas funções na célula.

Núcleo => onde está nosso material genético. Neste material estão todas as informações da própria célula e do nosso corpo.

Os Cromossomos

O cromossomo é  formado pelo DNA organizado. E cada célula de cada ser vivo tem um número exato de cromossomos. No caso dos seres humanos, temos 46 cromossomos.

Laura Barillari – 8o ano

De 2 milhões a 400 mil km²


Por Renata(3º EM)

O Cerrado brasileiro é o segundo maior bioma brasileiro. Situava-se nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí, Distrito Federal e oeste de São Paulo e Paraná (2.036.448 km²). Devido ao fato de ser cortado pelas três maiores bacias hidrográficas da América do Sul ( Tocantins-Araguaia, São Francisco e Prata), apresenta índices pluviométricos que possibilitam a existência de sua biodiversidade (estima-se 1500 espécies de animais e 10000 espécies de vegetais, sendo 45%, endêmicas, ou seja, originárias da região).
Possui solo do tipo savana, quer dizer, com vegetação arbórea esparsa, formada por pequenas árvores e arbustos, muitos deles com a casca espessa – deficiente em nutrientes e rico em ferro e alumínio. No período das chuvas, o solo é relativamente rico em gramíneas, que desaparecem na época das secas. Geralmente, suas árvores apresentam o tronco retorcido dentre as mais comuns, estão: ipê (Tabeluia sp), peroba-do-campo (Aspidosperma tomentosum) e caviúna (Dalbergia sp).
Seus ecossistemas são:
● Cerradão: representa a formação florestal do bioma, com vegetação exuberante, composta de árvores de alto porte e matas fechadas.
Floresta de Galeria: constitui uma vegetação ripícola ou de ribeirinha, predominando nas margens de rios e mananciais, protegendo o curso das águas.
● Cerrado Típico: constitui árvores de baixo porte e tortuosas e mal dispersas sobre gramíneas.
● Campo Sujo: constitui solo rochoso, sua vegetação é semelhante a do Cerrado típico.
● Mata Seca: constitui vegetação semelhante à do Cerradão.
● Cerrado Rupestre: caracteriza-se pelo predomínio de ervas e arbustos em ambientes rochosos.
● Parque Cerrado: área mista com planícies, elevações e árvores de baixo porte.
OBS: devido às queimadas, o Campo rupestre, que antes de 1960 constituía um campo, tornou-se um ecossistema em transição.

Apresenta aparência xeromórfica (aspecto seco), devido ao clima  Tropical Sazonal. A temperatura média anual é de 25ºC (sendo a mínima de 10ºC, podendo atingir 40ºC na primavera) e índices pluviométricos anuais entre 1000 mm e 2000mm.

Atualmente, restam cerca de 20% do Cerrado brasileiro distribuídos em Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e oeste de São Paulo e Paraná, devido ao fato de ser o bioma que mais sofreu com a alteração e ocupação humana (estima-se que 20 milhões de pessoas vivam na região).

Os fatores contribuintes para a extinção de parte desse território são a caça predatória, comércio ilegal de animais, intensiva atividade garimpeira e mineradora, abertura de estradas e desmatamento com fins econômicos voltados para pecuária e agricultura.

A presença humana na região data de cerca de doze mil anos, em que grupos de caçadores e coletores de alimentos exploram a região intensamente. Há cerca de quarenta anos, a área começou a ser fortemente povoada. Essa devastação também constitui o desenvolvimento de uma agricultura mecanizada de soja, milho e algodão, além de pecuária extensiva e monoculturas. Houve contaminação dos rios por mercúrio, devido à atividade garimpeira, além da erosão dos solos por conta da mineração.

A alteração dos habitats provocou também a ameaça de extinção de algumas espécies como a onça-pintada ( Panthera onça), tucano ( Ramphastos toco) e piau (Leporinus sp), comuns no Cerrado.

A constituição federal de 1988 não legalizou a Cerrado como “patrimônio nacional”. Por não apresentar o aspecto exuberante da Floresta Amazônica ou da Mata Atlântica, ele foi sistematicamente condenado ao desaparecimento, pois não despertava atenção para o desenvolvimento econômico nem mesmo como um bioma digno de preocupações conservacionistas.

Apesar de ocupar 22% do território nacional, apenas 2% de sua área está protegida em parques ou reservas, enquanto que a Amazônia apresenta 4% de sua área protegida. Infelizmente, o interesse dos ambientalistas só foi despertado quando o quadro tornou-se alarmante: São Paulo já abrigou 10% do território do Cerrado, hoje abriga apenas 1%. Recentemente, ações por parte de legisladores visam amenizar os erros do passado com relação ao bioma. Como se isso fosse possível.

Bibliografia:

www.ibge.gov.br/home/…/noticia_visualiza.php?id_noticia..

http://amdro2003.blogspot.com/2010/01/desmatamento-situacao-atual-do-cerrado.html

http://www.portalbrasil.net/cerrado.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cerrado

www.portalbrasil.net/cerrado_faunaeflora.htm

www.conservation.org.br/publicacoes/files/20_Klink_Machado.pdf

Amabis, José Mariano e Martho Gilberto, Fundamentos da Biologia Moderna: volume único/4. ed – São Paulo: Moderna, 2006

Até onde a ciência pode avançar?


 

Presenciamos um período de grandes avanços tecnológicos: as células tronco, a nanotecnologia, a clonagem, a neurociência e os avanços na comunicação(como a internet) são bons exemplos. Já se fala em substituir orgões, consertar códigos genéticos com defeito – que geram doenças e diversos problemas de saúde – e até em cura para a AIDS. São incontáveis avanços, presentes no nosso dia-a-dia, que facilitam a nossa vida.

 

Ninguém nega que esses avanços são importantes: eles nos ajudam a viver mais e melhor. Porém, pouco se discute se há um limite ético para eles. Podemos clonar seres vivos indiscriminadamente? Podemos usar células que poderiam gerar uma vida para curar outros seres humanos? Podemos criar ratos florescentes? Podemos criar ratos com orelhas nas costas?

 

Teoricamente, podemos. A questão é: temos o direito de fazer isso?

 

Vamos dizer que sim, temos esse direito. Somos superiores, conseguimos isso. Qual o problema de criar um rato florescente ou usar células que poderiam gerar uma vida para, por exemplo, criar um coração novo? É “pelo progresso da ciência” (clichê bastante usado nos dias atuais). Acontece que, se admitimos isso, porque não podemos implantar orelhas nas costas de seres humanos? Ou chips na cabeça de seres humanos, e obriga-los a andar aonde queremos? Pode parecer um absurdo, mas já se faz isso em ratos. Clique aqui para ver.

 

Outro caso que mostra claramente a necessidade de um limite ético para os avanços da ciência é a clonagem. Se conseguirmos clonar um ser vivo com relativa facilidade, e este ficasse vivo durante muito tempo, deveríamos fazer isso? Se, como no filme Parque dos Dinossauros, pudéssemos recriar os dinossauros a partir do DNA conservado em âmbar, deveríamos fazer isso? Todos que já assistiram o filme sabem que o final é bem catastrófico. É realmente isso que queremos para o nosso futuro?

 

Já existem debates no terreno da ética na ciência. Um dos mais atuais(e mais famosos) é o relacionado ao uso de fetos para se retirar células tronco: muitos consideram este procedimento a destruição de uma vida, e argumentam que existem outras formas de se obter células tronco. Outros discordam, e acreditam que essa pesquisa é necessária. Afinal, as células tronco embrionárias(tiradas do feto) tem maior capacidade de se especializar em outras células e, portanto é mais fácil de realizar pesquisas com elas.

 

Entretanto, devemos tomar cuidado para não radicalizarmos o debate demais. Muitos acreditam que impor limites éticos significa, por exemplo, parar de usar animais como cobaia. Em alguns casos, já se usa apenas as células e os tecidos para realizar os testes. Porém, infelizmente, não existe uma solução melhor para testar medicamentos em muitos casos – não entrarei na questão do teste de cosméticos – do que usar os animais. No futuro, pode se achar uma solução para esta situação.

 

A principal questão que deveríamos debater é: tudo que a ciência é capaz de fazer deve ser realmente feito? Onde isso nos levará? Podemos pagar um preço muito alto ao tentar, a qualquer custo, avançar na ciência. Ou como disse Dr Ian Malcolm, em Jurassic Park: “Seus cientistas estavam tão preocupados se eles podiam ou não podiam fazer, que eles não pararam para pensar se eles deveriam.”

 

Evolução


As pessoas antigamente pensavam que todos os seres vivos foram criados tais como existem hoje , que não houvesse evolução  eram tais como existem hoje em dia , por isso deram o nome de criacionismo .

No início do século XVIII as pessoas  começaram a  questionar sobre o criacionismo , pois começaram a descobrir fósseis de seres que não existem mais .

Os criacionistas explicavam os fósseis por meio de grandes catástrofes , como o Diluvio .

Se você não sabe  fósseis são restos ou vestígios de seres vivos que não existem mais, ou seja, que já estão extintos .

Lamarck era um evolucionista com grandes ideias , como a lei do uso e desuso e a lei da herança do caracteres adquiridos. Na lei do uso e desuso , acreditava-se que de tanto usar uma parte do corpo ou órgão ele se desenvolveu . Se não usar, atrofia.   Acreditava-se que os caracteres adquiridos no uso e desuso eram passados para a próxima geração.

Darwin no século XIX ,viajou no navio Beagle ao redor do mundo , ele encontrou

* Fósseis de Preguiças gigantes no Brasil

*Fósseis de Ema (atualmente só encontramos vivas no Brasil ) na Patagônia (Argentina )

*Fósseis de Conchas marinas no alto dos Andes

Darwin começou a se questionar , pois em Galápagos (um conjunto de ilhas no Pacífico ) , achou Tentilhões (uma espécie de ave ) com bicos diferentes . Cada bico de ave tinha uma função diferente mas só notou isso quando sua viagem tinha acabado .

Ele foi percebendo que o bico de cada ave servia para um tipo de alimento. Como por exemplo:

*Bico mais forte – alimentar-se de sementes

*Bico mais fino – comem insetos

*Bico em forma de pinça – comer larvas.

Ele foi percebendo que o animal passava por uma evolução e que o ambiente selecionou o animal mais adaptado para viver naquela região , ele chamou isso de Seleção Natural . Para quem não sabe é quando o ambiente seleciona o animal mais adaptado para viver naquela região .

Algum tempo depois Darwin recebeu uma carta de Wallace sobre a teoria da evolução muito parecida com as ideias dele , foi então que ele resolveu lançar seu livro : A origem das Espécies .

Renata – 7o ano do Ensino Fundamental